segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Da necessidade dos católicos patriotas repudiarem a farsa perenialista

O Professor Caio Rossi: um homem de coragem.


Os eventos recentes e a evolução política das últimas décadas não auguram um futuro brilhante, ou melhor, diante dos desenvolvimentos mais recentes, parecem nos ter conduzido a um beco sem saída que levará o mundo a uma guerra sem precedentes.
É importante desarmar todas as bombas que os inimigos da nossa civilização armaram para impor o seu império universal, império que jamais sobreviveria sem uma forte base religiosa. Ao contrário do que muitos pensam, a futura religião global não será uma religião nova e única, que tomará o espaço das outras religiões, mas será tão somente o resultado da tomada de todas as religiões tradicionais por uma castas de infiltrados iniciados que celebrarão o mesmo culto esotérico, vedado aos profanos, que somente conhecerão as formas exteriores do tal culto introduzidas nas suas religiões reformadas, aparentemente tradicionais, mas com elementos de corrupção que só os iniciados serão capazes de reconhecer.


Assim, aos católicos, se faz necessário alertar a todos a respeito do que é a farsa perenialista, farsa que, para infelicidade dos nossos amigos evolianos, incluía o barão que afirmava querer restaurar Roma quando mais não fazia do que dar uma ajuda aos que queriam meter de vez um prego no seu caixão. É, meus amigos evolianos, vocês foram enganados por um bruxo e está na hora de reverem tudo o que leram à luz de todos os factos conhecidos ao invés de continuarem encerrados na literatura "exotérica" de bruxos e outros imbroglioni.
Sem isso, muitos de vós continuaram atacando o mais forte bastião da civilização cristã, a Igreja Católica, e todas as muralhas que essa nos ajudou a construir contra a barbárie, criando as condições que um dia a elevaram a uma posição de poder inédita em toda a história, abrindo assim um vácuo que será prontamente preenchido pelos maiores inimigos da Europa, os mesmos que promoveram as políticas de emigração forçada e balcanização do coração do continente. Sem isso, os senhores continuarão a cometer erros de avaliação imperdoáveis, como na presente crise que afecta os territórios conhecidos por Ucrânia. Muitos que se crêem nacionalistas e anti-sionistas, graças a sua concepção distorcida da realidade, agora apoiam grupelhos nazis ao serviço de globalistas, promovendo a política de destruição mútua da cristandade que as elites sionistas perseguem ao jogar as nações ocidentais contra a Rússia! Caros, abram os olhos pois não podemos cometer erros de avaliação tão grotescos nesse momento que precede, quase de certeza, a deflagração de uma guerra mundial.
A admiração, ainda que velada, que muitos nutrem pelo nacional-socialimo e pelo seu líder, Adolf Hitler, mais não faz do que assustar o cidadão saudável do nacionalismo, afinal, basta olhar para esses grupelhos para sabermos que o melhor a fazer é manter tais senhores com ideias mentecaptas longe do poder. Se Adolf Hitler fez algo de permanente, esse algo foi criar Israel, submeter a Alemanha à ocupação sionista, abrir espaço e dar um pretexto para a implementação de uma união política continental anti-europeia e manchar a honra das forças nacionalistas com os seus crimes, que vão desde a implementação de políticas eugenistas, passam pelo massacre de civis e incluem a colaboração com a União Soviética. Mais estranho é que poucos estranham factos que mostram que Hitler não trabalhava em prol do nacionalismo ou, no mínimo, provam que era um completo imbecil. 
Farei uma lista de pequenos factos logo a seguir, seleccionando cinco que considero bastante reveladores a respeito do Hitler que nos esconderam. 
Portanto, evolianos e afins, e posso dizer que nutro simpatia por muitos de vocês, tomem vergonha na cara e tratem de se confessar e frequentar a missa, mas tem de ser a missa tridentina celebrada por um padre a sério. Se não quiserem ouvir, então vão para o inferno.
E que os católicos tomem inspiração no exemplo de coragem e  determinação do professor Caio Rossi, que não cedeu perante o medo das reacções a revelações tão incomuns diante de um público que poderia reagir mal, ou seja, o público do encontro evoliano. Não devemos temer confrontar os nossos companheiros que andam enganados e trazê-los para o nosso lado, mas haverá de certo quem promove tais ideias de má-fé, e esses devem ser investigados, tal e qual toda a gente que anda metida com as coisas da política. Relativamente ao conteúdo da palestra do Professor Caio Rossi, que em breve será disponibilizada para todos, deixo aqui as palavras do Professor André Luiz dos Reis, de modo a vos preparar para o conteúdo e aguçar a curiosidade:
A palestra de Caio Rossi versou sobre 'O perenialismo e a elite possessa'. Foram apresentados fatos interessantes sobre as raízes do pensamento de René Guénon e seguidores, bem como seus vínculos com seitas como os Islmailitas, Yazidis e Druzos. Caio expôs uma perspectiva pouco conhecida sobre os objetivos do grupo perenialista e do sinistro significado do que entendem por ''realização espiritual''. Além disso, houve indicações sobre atuações atuais destes grupos no Brasil.
Deixo também a recomendação de dois textos do Professor Caio Rossi, que são uma bela introducção ao seu magnífico trabalho de investigação, para além de agradecê-lo por todos os esforços em prol da verdade, apesar das ameaças e dos riscos. Um bem haja ao Professor Caio!



9 comentários:

  1. Quando este vídeo estará disponível? Se é que filmaram.

    ResponderEliminar
  2. Carlos,
    O Dídimo montou um evento plural. Foram debatidos vários temas. Apesar disso, no primeiro dia, a polícia compareceu ao evento para investigar uma denúncia de que o evento seria antissemita.
    A palestra do Caio foi uma extensão do que ele já publicou no blog dele. Eu falei sobre São Francisco de Assis logo após o Caio e posso afirmar que ninguém presente na auditório se ofendeu com o que o Caio disse ou se retirou. Ele demonstrou, sim, que membros da tariqa do Tales - a qual ele pertencia - cultuam Satanás. Isso ficou demonstrado. Mas ele não demonstrou que Guénon era um satanista. Caio usou justamente a obra "O simbolismo da cruz" para caracterizar Guénon como um herege à luz do Islã. Eu li "O simbolismo da cruz" e garanto que esse livro pode ofender um muçulmano.
    Enfim, Caio não tem a erudição que ele imagina ter. O que ele escreveu sobre a profecia do Grande Monarca no blog dele revela um profundo desconhecimento sobre a religião católica.

    ResponderEliminar
  3. Olá Luís,

    Você disse:

    >>>Ele demonstrou, sim, que membros da tariqa do Tales - a qual ele pertencia - cultuam Satanás.<<<

    Não, Luís. Eu não só não afirmei que eles cultuavam Satanás exatamente, como afirmei, na realidade, que o status de Satanás como muçulmano exemplar foi repetido por diversos "santos" sufis, como o icônico Al-Hallaj. Outro que afirmou isso foi Attar, a que o pessoal da Idries Shah dedicou o nome da editora que mantém.

    Quanto a Guénon, eu demonstrei que ele tinha como "esoterismo islâmico" referencial o esoterismo dos drusos e ismailitas. Fez isso tanto literalmente, ao citá-los como representantes da "Tradição Primordial", como implicitamente em sua angelologia, claramente retirada do esoterismo ismailita.

    Quanto a esse trecho:

    >>>Caio usou justamente a obra "O simbolismo da cruz" para caracterizar Guénon como um herege à luz do Islã. Eu li "O simbolismo da cruz" e garanto que esse livro pode ofender um muçulmano.<<<

    Se o livro pode ofender um muçulmano, ele não seria um herege à luz do Islã? Creio que você tenha se enganado na digitação. Mas vamos ao que eu disse de fato: que o livro "Simbolismo da Cruz" desenvolve um tema ao qual os ismailitas já se dedicavam há mais de 800 anos, que Guénon só fez enriquecer os argumentos ismailitas com elementos novos.

    >>>Caio não tem a erudição que ele imagina ter.<<<

    O mais correto seria dizer que o Caio não tem erudição, e não que eu imagine ter uma erudição que não possuo. E não tenho mesmo, até porque não preciso de erudição para entender que o próprio Guénon se vincula ao ismailismo. Para isso bastaria uma inteligência mediana.

    >>>O que ele escreveu sobre a profecia do Grande Monarca no blog dele revela um profundo desconhecimento sobre a religião católica.<<<

    O que eu disse sobre o assunto, no meu blog, é que "para Guénon, o 'Grande Monarca' católico seria, ao mesmo tempo, o Mahdi muçulmano, o descendente de Maomé que irá resgatar o Califado" e relacionei isso à crença ismailita da união das dinastias de São Pedro e Ali/Fátima. Eu não demonstrei nenhum suposto conhecimento do que a religião católica diz sobre isso e, portanto, não posso ter demonstrado nenhum desconhecimento também. A não ser, é claro, que você acredite que a tradição católica diz a mesma coisa que Guénon ou outros ismailitas.

    ResponderEliminar
  4. Longe de me enquadrar num evoliano ou afins, mas me detendo ao excerto:

    "...tomem vergonha na cara e tratem de se confessar e frequentar a missa, mas tem de ser a missa tridentina celebrada por um padre a sério. Se não quiserem ouvir, então vão para o inferno."

    Pergunto: como alguém que está há muitas dezenas senão centenas de quilômetros de distância de onde se celebra uma Missa Tridentina (eis que Missas assim são raras no país e acontece numa Igreja aqui ou acolá, num território de mais de 8 milhões de Km2 como o Brasil), pode frequentá-las?
    Para o articulista, já estou condenado ao inferno.
    Falta de senso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Falastes bem anônimo, há muita, mas muita falta de senso na blogosfera em nosso meio católico. Há tradicionais, que de tanto tradicionais se tornaram fariseus. Deixo-lhe esta pérola. Abs:

      http://www.deuslovult.org/2014/09/08/nao-temos-o-direito-de-abandona-lo/

      Eliminar
  5. Mude-se para um local em que possa assistir à Missa tridentina, ao menos de tempos em tempos ou então entre em contato com algum padre tradicional e organize uma missa em sua cidade. Não se comporte como um velho inválido.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mudar? A vida já fez raízes profundas em meu solo.
      Organizar uma missa em minha cidade? Tente organiza-la e depois volte aqui e me conte o martírio, ao invés de tentar se colocar no lugar de Deus, como fez o articulista.
      Falta de senso II

      Eliminar
  6. E o link do vídeo da palestra do Caio?

    ResponderEliminar
  7. Quanta bobagem, meus caros. O marxismo já provou que veio para destruir a Igreja e vocês não fizeram nada, antes, pelo contrário, engrossaram-lhe as fileiras. Antes de se preocupar com inimigos anões, vejam melhor o que a maçonaria fez e continua fazendo entre os católicos, tentem entender também que teologia da libertação não tem nada a ver com a mensagem de Jesus, aí quem sabem terão o respeito de todos.

    ResponderEliminar