segunda-feira, 30 de junho de 2014

Acta de fundação do curso de filosofia do astrólogo em São Paulo: mais uma prova de formação de seita que Sidi Muhammad/Olavo de Carvalho não irá refutar

Divulgaremos agora a acta de fundação do curso de filosofia do astrólogo Olavo de Carvalho em São Paulo, que por alguma razão nos faz pensar no que se passou no COF de Curitiba, o tal que acabou em orgias, trocas de casais, famílias destruídas e um exorcismo. É mais uma prova, para além dos vídeos recomendados nos posts anteriores, de que estamos a lidar com uma seita. Leiam com atenção e tratem de estudar o caso antes de opinar. Comparem o que temos afirmado, sempre a partir de provas documentais e depoimentos, com o que o Sr. Olavo tem afirmado em sua defesa, sem esquecer de levar em conta a cronologia. A cada nova afirmação fantástica do guru, encontramos novas contradicções que indicam com precisão o que o Sr. Olavo tenta esconder, ao menos para quem já apreendeu o seu modus operandi. Abaixo da acta, publicarei as notas de um colaborador anónimo sem nenhuma correcção, de modo a servir de subsídio à leitura daqueles que precisam de um desenho.


sábado, 28 de junho de 2014

Lista completa dos posts sobre o affaire Olavogate

Ordenei os posts a respeito do "Olavogate" por ordem cronólogica, para os que se interessam pelo caso poderem acompanhar o desenvolvimento da investigação. Nenhum dos que agora comentam e criticam, podem ter a certeza, acompanhou o caso com atenção, e são poucas as pessoas preparadas moralmente e intelectualmente para compreender o que se passa e a gravidade da situação. Como já firmei num post, Olavo poderia ser condenado por sedição e fuzilado, para começar, e montou uma seita luciferiana ligada a uma rede poderosa cujas actividades deveriam ser alvo de investigação da parte das autoridades eclesiásticas, civis e militares. Para terminar, acho estranho que o Padre Paulo Ricardo não apenas nada disse a respeito do caso, apesar de ter sido contactado várias vezes e por várias pessoas, mas continua a colaborar com o inimigo da Igreja. Para mim, está mais do que claro de que lado está. Agora, volto a pedir a todos que leiam o que foi escrito no prometheo e comparem tudo isso com o que tem afirmado o Sr. Carvalho, que será devidamente processado por mim assim que obtiver os recursos: 






sexta-feira, 27 de junho de 2014

Apanhando um ratinho

Bastou um queijo para apanhar o ratinho. 

Caros, no post Sordidez Inesgotável, vos relatei a conversa em que um pau mandado de nome Thomaz Almeida (Sidi Almerda a partir de agora) se oferece para fazer um trabalhinho sujo para o Sr. Gugu, o qual, acreditando que os Velascos são feitos da mesma matéria dos Carvalhos, aproveitou para fazer uma descrição do "perigo". Como já ficou bem claro para todos, sabemos que estamos a lidar com imbecis. Somente por essa razão tem sido tão fácil desvendar todos os segredos que o clã Carvalho deseja manter, e os Almeidas não ficam atrás dos Carvalhos nesse ponto.

Bastaram alguns minutos para descobrirmos algumas coisas interessantes a respeito de Sidi Almerda, o campeão da tribo. Sidi Almerda esteve em Marrocos com o Ja'far Cipolla, residente em Fez e irmão de Marcelo Cipolla*, o cavalheiro indicado pelo Gugu para o suceder no Curso de Religiões Comparadas que terminou com uma viagem a Marrocos e duas conversões de cristãos ao Islão:

  
Para os que não recordam da história da viagem, volto a postar o relato em primeira-mão do que se passou:




Portanto, quando digo que para se entrar nessa investigação se deve estar disposto a tudo, não estou brincando. Estamos a lidar com uma rede ligada à pior escumalha do mundo, rede essa, que só pelo facto de se ter angariado imbecis, foi descoberta. 

Para terminar o post, gostaria de de vos recomendar alguns artigos interessantes escritos por pessoas que muitos nos têm ajudado e têm feito descobertas sem as quais jamais chegaríamos onde chegamos. Como disse, já são algumas dezenas de pessoas que se dedicam a essa investigação, que deveria ser conduzida pelas autoridades eclesiásticas, judiciais e militares, mas a maioria prefere manter o anonimato pois teme represálias:



Blogue da Mírian Macedo - Olavo de Carvalho: pior que Lula

* OBS: Ja´far Cipolla, afinal, é mesmo o Marcelo Cipolla e não o seu irmão. Agradeço à Mírian Macedo pelo alerta. 

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Apontando o dedo aos servos de Lúcifer.

Em primeiro lugar, repito o que já afirmei em pelo menos duas ocasiões: desejo que as autoridades investiguem exaustivamente as actividades da família Carvalho. Diante da revelação e dissecação da aula introductória do Sr. Gugu, que mais não é do que um convite aos alunos para um mergulho nas dimensões mais profundas do olavismo, qual foi a atitude dos Carvalho? Difamar, mentir, omitir e conclamar os fanáticos à perseguição, nada mais. E a campanha tem funcionado, devo dizer, não faltando voluntários para sujar as mãos para manter a cuidadosamente construída reputação dos Carvalho:


Se pensam que desistiremos, estão enganados. Continuaremos porque estamos preparados para tudo. Quem se mete com uma seita luciferiana sem saber que o destino de quem o faz é a morte violenta, ainda que num futuro remoto, é um imbecil, e não é esse o nosso caso. Além dessas ameaças desastradas, temos também as ameaças judiciais. Não contentes com a tentativa falhada do Sr. Tiago Amorim, temos agora uma outra, transmitida pela Rádio Vox:


Notem que Sr. Tales afirma que se acusarmos o Sr. Olavo de um crime, e apenas nessa condição, o Sr. Gugu nos irá processar desde a Roménia. Quem faz tal ameaça diante do que afirma ser uma campanha de difamação, ainda mais quando afirmamos que ele e a sua família formam uma seita luciferiana? Isso não é a atitude de alguém que é difamado injustamente e não esconde algo comprometedor, e não se pode dizer que foi um acto falho pois o Sr. Gugu tem repetido isso ao longo dos últimos dias para todos os seus sequazes, inconformados com a passividade do clã. Mas podem dormir tranquilos pois não acusarei ninguém de um crime sem ter provas, tal e qual temos feito desde o princípio do affaire Olavogate

SOBRE A SUPOSTA ATMOSFERA CULTURAL CRIADA POR OLAVO DE CARVALHO

Estou fora do Facebook, mas fui informado de que Francisco Razzo e Gustavo Nogy deixaram de ser olavetes. É possível argumentar que os dois não eram exatamente seguidores de Olavo. No entanto, é fato notório que eles admiravam o guru e não escondiam essa admiração.

Olavo postou no Face ofensas a Nogy e Razzo e disse que os dois não souberam reconhecer a atmosfera cultural criada por ele, cujo trabalho teria permitido o reaparecimento do pensamento conservador tupiniquim. 

Não tenho como analisar as motivações de Nogy e Razzo, porém posso constatar que eles deixaram de admirar Olavo depois da revelação do processo criminal a que Olavo respondeu pela FAN PAGE da Ruth Sheherazade e das comprometedoras cartas de Martin Lings pelo blog Prometheo Liberto.
Em relação à suposta atmosfera cultural criada por Olavo, que teria permitido o reaparecimento do pensamento conservador, trata-se de uma falácia e posso demonstrá-la. 

quarta-feira, 25 de junho de 2014

A colorida monarquia "espanhola"


Já que é para isto, peço aos Rothschild que ao menos escolham alguém com talento e carismq!

Apesar de me curvar perante a tradição política ibérica, desenvolvida ao longo dos séculos que decorreram entre a queda do Império Romano e as invasões liberais, bato palmas para o novo ocupante do que já foi o trono espanhol. Ao contrário do pai, com quem partilha as convicções globalistas e a humilhante, mas bem paga, posição de vassalo da Casa de Rothschild, o filho não tem medo de se afirmar, assumindo uma posição inequívoca a respeito do catolicismo sobre o qual foram erguidas as Espanhas e o estado espanhol e se colocando como paladino dos novos valores revolucionários que dinamitam as bases da nossa civilização e abrem as portas para a desordem, situação essa que favorece os poderosos: 


Da minha parte, espero que Filipe continue no mesmo caminho e abdique de todas as tradições e prerrogativas do seu cargo. Deveria se contentar com o simbolismo do seu cargo e passar a promover os seus novos e nobres valores. A minha sugestão é que passe a abrir as paradas gay devidamente trajado de rainha.   


  




terça-feira, 24 de junho de 2014

77 notas sobre a "aulinha" de Sidi Ahmad, o "Gugu"

Deu prá entender? (há quem realmente tenha dado para isso;).

Levando em conta que há pessoas que não perderão o seu precioso tempo assistindo a aulinha do Gugu, e que muitos assistirão, mas nada entenderão, resolvi pedir ao meu irmão os seus apontamentos da aula recomendada no post Curso Olavo de Invocação do Capiroto.  

Colocarei as 77 notas sobre a tal aula em bruto, sem correcções, pois tenho menos paciência para corrigir as notas sobre as aulas do Gugu do que para a própria aula. Aqui seguem as notas, e antes dela segue o endereço da aula, que ainda está disponível no youtube:

Princípios de Cosmologia Tradicional - 01


25 min - "Solve Et Coagula". (ver figura do Baphomet).

30 min – Piada provocativa sobre o facto de que se não sabes o que desejas, não irás encontrar nada, em que fica claro que tens de saber qual qualidade ou coisa desejas alcançar pois sem isso é impossível realizar um pacto. 

38 min – “o que vale a pena neste mundo é conhecimento e virtude o resto tudo se obtém”. (conceito de 
gnosticismo puro, o culto do conhecimento como ponto máximo da existência humana e salvação, sendo 
assim uma virtude). 

39 min – “tudo no mundo é bom, até certo ponto, depois só acumula trabalho” (interessante pensar no 
pecado a partir dessa perspectiva “mágica”). 

40 min – “quanto mais melhor, temos é que adquirir, não importam os meios...” (Preciso comentar? Os fins justificam mesmo todos os meios? Até a venda da alma?). 

domingo, 22 de junho de 2014

Sordidez inesgotável

Em virtude da publicação do último post, em que aparece uma fotografia do casal Dipp numa ceia de Natal pouco católica, um provável membro da seita que expusemos de maneira bem light (conclamo as autoridades para procederem a uma investigação conclusiva a respeito das actividades do Senhor Olavo de Carvalho), que se identifica como pai da criança, que nem foi citada no post e não passa de um detalhe na fotografia que é menos importante que a gamela de cuzcuz, aproveitou-se do facto e a instrumentalizou para fazer uma ameaça judicial:

Ao tal Tiago Amorim, cavalheiro que nem sabia existir até há poucos minutos, tenho a dizer algo que só valerá se ele for realmente pai da criança, que eu, como toda a gente, menos o casal da fotografia e o provável casal Amorim, pensei pertencer a algum dos "actores principais" e não ao "cameraman": És um péssimo pai e deverias perder a guarda da criança. Se fosse filho meu, jamais estaria nas mãos de tais pessoas e se a visse numa fotografia num post com tal conteúdo, pediria discretamente ao administrador do blogue, depois de me identificar, para apagá-la, e procuraria afastá-la dessa seita ao invés de expô-la publicamente para instrumentalizá-la como base para um ameaça judicial ridícula. Basta ler o post para saber que a sua acusação não passa de um disparate que só prova a sua maldade e a sua burrice.

Agora, passo às palavras do tal Sr. Tiago Amorim:

Ao associarem o "texto demoníaco com a imagem de uma criança de 2 anos" - meu filho - incorrem em crime e serão devidamente processados. Já copiei a página e enviei ao meu advogado.

Em primeiro lugar, o texto não é demoníaco. O texto denuncia um grupo demoníaco o qual, por acaso, o cavalheiro mantém próximo da sua cria, que o cavalheiro nem foi capaz de defender minimamente mantendo no anonimato quando não passava, como já afirmei, de um detalhe irrelevante no caso, não tendo sido sequer mencionada. Em segundo lugar, exijo de si um pedido de desculpas por ter acusado o meu irmão de escrever um texto demoníaco. Se isso é verdade, então vamos submeter tudo o que temos a padres exorcistas e deixá-los decidir onde está a verdade!

P.S: Para quem quiser saber quem é Tiago Amorim, e a razão pela qual veio fazer uma ameaça judicial sem nenhuma base, que só expõe a sua vulgaridade e má-fé, recomendo o blogue do próprio: Quem é Tiago Amorim

Não deixem de ler: Sexo, Sufismo e Mentiras: Quando Olavo é Traído por Sidi

Curso Olavo de Invocação do Capiroto

Vai um chouriço? Então vai ter que beber o vinho!*


Retomando o trabalho de exposição começado há algum tempo, hoje decidi abordar o Instituto Cultural Lux et Sapientia e o Centro Cultural Landmark. Após vários meses investigando os institutos mencionados, que mais não servem do que para introduzir discípulos nos círculos mais restrictos da organização de Sidi Muhammad Ibrahim (Olavo de Carvalho), constatei que no fundo estes são apenas uma reinvenção do COF de Curitiba (Sim, o tal que Sidi Muhammad afirma ter sido infiltrado por tariqueiros, acabando em orgias e num exorcismo), ou seja, tudo mudou para continuar na mesma.

Os directores e o núcleo continua o mesmo, desde os professores até os organizadores do curso, com destaque para Sidi Ibrahim Isa (Tales de Carvalho, com quem o Olavo “não falava há mais de dez anos”...), Sidi Ahmad (Luiz Gonzaga de Carvalho, ou Gugu), Luciane Amato e Eduardo Dipp, e mais uma vez parece ter havido infiltração por gnósticos e luciferianos. Assim, como favor, usarei o Prometheo para informar Sidi Muhammad Ibrahim que os seus institutos foram novamente infiltrados e desvirtuados do seu catolicismo schuoniano sui generis. Começarei pelo próprio nome dos locais.

Landmark, para quem estudou a maçonaria, é uma palavra com um sentido bem claro e até a WIKIPEDIA possui uma entrada sobre o tema:


Não bastando uma coincidência, eis que Sidi Muhammad Isa também comete uma “gafe gnóstica” bastante evidente, escolhendo o nome Lux et Sapientia para o seu instituto. A palavra Lux é usada como referência a Lúcifer, o que traz a luz e o saber. A luciferiana Alice Bailey, para ficarmos por um exemplo que o próprio Sidi Muhhamad conhece, fundou o Lucifer Trust na Onu para difundir material New Age, posteriormente mudando o nome para Lux Trust, de maneira a torná-lo menos indiscreto, e depois para Lucis Trust..


Mas essas não passam de pequenas “coincidências”, relativamente inócuas. Passo agora à análise de algumas aulas ministradas nos tais institutos. A primeira aula que abordo foi ministrada por Sidi Ahmad, que num tom sereno, recorrendo ao uso de personagens centrais do cristianismo, descreve um pacto satânico, provocando os alunos com insinuações pouco discretas. Cada cor corresponde a um estado de consciência do aluno, representando o negro o roxo e o azul a saida das trevas e o reconhecimento de um saber, movimento que ele descreve como ascendente. A seguir, descreve as cores verde, amarela e vermelha, e explicando o processo descendente. Aqui começa o aliciamento gnóstico, onde ele deixa bem claro aos alunos que apenas o "elemento que desceu do Céu” o poderá levar para o Céu. Não é preciso muito esforço para constatar que ele descreve Lúcifer, o anjo caído que traz a luz e dá conhecimento ao homem... A aula prossegue e são enumerados todos passos todos para o aluno tomar posse da qualidade ou virtude que deseja , com a advertência de que o “professor” não pode fazer nada daquilo em aula, mas apenas instruir o aluno pois ele terá de fazer isso por si próprio. Contei mais de 40 provocações numa aula de uma hora e 50 minutos. Pedi a alguns padres que analisassem o conteúdo e todos eles confirmaram que se trata de uma aula de iniciação luciferiana.


Diante do achado, acabei por investigar mais a obra da seita que parece se infiltrar em todas as obras de Sidi Muhhamad, tendo inclusive cooptado o seu filho. Assim cheguei à eloquente aula de “Indrodução à Vida como Narrativa”, da Srª. Luciane Amato, velha companheira de Sidi Muhhamad. Aqui, aparentemente, deixamos o misticismo do Gugu e mergulhamos no mundo literário. As cores deixam de ser a ferramenta para a descrição da iniciação luciferiana, que passa exemplificada por supostos métodos de reflexão literária. Tal e qual o Gugu, ela insiste com veemência na necessidade de se "mergulhar " na própria alma, e usa o termo "tomar posse" como palavra código para o pacto satánico. Tenta seduzir os alunos perguntando repetidamente aos alunos se estes sabem quem são e qual é a vida que realmente desejam viver, fazendo o mesmo jogo que Gugu faz com as cores, em especial com a amarela e a vermelha, as cores da interiorização e da decisão. Ao longo da aula achei cerca de 20 provocações luciferianas/gnósticas.


Como não há duas sem três, temos ainda uma aula ministrada pelo professor e poeta Eduardo Dipp. Apesar de ser artista, é menos articulado que os personagens das aulas anteriores se limitando a recitar poemas escolhidos pelo seu conteúdo gnóstico, ou que podem se assim interpretados. Entre os poetas citados, destaco o nome de “Dante” Gabriel Rosseti.



Com isso, tendo em conta que foi o meu primeiro e provavelmente último post no Prometheo, aproveito o clima religioso e me despeço desejando a todos um Feliz Natal, especialmente à família Dipp, logicamente com muito cuzcuz, peixe e nada de álcool...

Texto escrito por Jorge Velasco

* Por consideração à criança, que foi identificada pelo pai numa rede social, progenitor que ao invés de proteger a sua identidade e afastá-la do casal luciferiano da fotografia, preferiu usar a própria cria, a qual deveria defender, para fazer uma ameaça judicial, apaguei o rosto dela. Um pai de tal qualidade, na minha opinião, deveria perder a guarda dos filhos. Ass: Carlos A. R. Velasco

Não deixem de ler: Sexo, Sufismo e Mentiras: Quando Olavo é Traído por Sidi

sábado, 14 de junho de 2014

Enquanto falamos da Copa...

Esperemos que a de 2018 não seja assim.


Não fosse a Copa, penso que estaríamos todos bastante preocupados com a escalada da guerra no Oriente Médio e na Ucrânia. Nós últimos dois dias, ficamos bem mais próximos de um conflicto generalizado, e já estávamos bem próximos disso. Na Ucrânia, um avião das forças actualmente no poder foi abatido por um míssil anti-aéreo, resultando em 49 mortos. Parece que a fronteira que delimita a tensão armada e a guerra civil foi finalmente ultrapassada e isso abre uma série de novas possibilidades e aumenta a probabilidade de erro de cálculo.

No Iraque, assistimos a um avanço do ISIL/S, grupo que reúne remanescentes da inteligência do regime de Saddam e gente ligada ao "ficheiro alqaida", que não pode ser explicado sem se levantar a hipótese de um poderoso auxílio exterior, não só a nível de recursos materiais e treino, mas também de empréstimo de tropas especiais, artilharia moderna, aviação e inteligência. Sabemos que os wahhabis apoiam o tal grupo e que o Irão intervirá directamente no conflicto se o actual governo iraquiano não conseguir dar conta dos terroristas.

Pior do que isso, só se a tensão no Extremo Oriente aumentar ainda mais...

   

terça-feira, 10 de junho de 2014

Bons presságios



Depois da bandeira virada no 5 de Outubro, temos um presidente caído no 10 de Junho, e nem foi preciso empurrar.

quinta-feira, 5 de junho de 2014

Uma pequena lição de História

Sede da VOC: Comparem com a sede que a Apple vai construir...

Acabo de ler um excelente artigo que resume bem o desenvolvimento do "capitalismo". Num texto tão curto, é impossível desenvolver a fundo todos os pontos essenciais, ou sequer citar todos os factos chave, assim, farei apenas algumas observações para ajudar na compreensão do conteúdo.

Em primeiro lugar, lembro que houve uma mudança qualitativa essencial com a fundação do Banco de Inglaterra em relação ao Banco de Amsterdão pois o primeiro obteve o monopólio da emissão, aumentando exponencialmente o poder especulativo dos "insiders". Em segundo lugar, os confiscos das revoluções protestantes e a combinação do movimento das enclosures, cuja intensidade só aumentou desde a Revolução Gloriosa até o século XIX, e do uso das leis da pobreza em favor da oligarquia sedenta de mão-de-obra barata, tudo isso em combinação com a exploração monopolista das colónias do nascente império inglês, abriu o caminho para a constituição de corporações industriais que no espaço de um século fariam as poderosas corporações comerciais da era do mercantilismo parecerem anãs. 

Enganam-se os que imaginam que as corporações mercantis dos séculos XVII e XVIII eram mais poderosas que as corporações financeiras e industriais do século XIX e XX. É verdade que as anteriores possuíam frotas e exércitos privados, mas isso é porque ainda não dispunham do domínio total dos estados. E sabemos como funciona a lógica capitalista: não é melhor atirar o ônus da guerra aos cidadãos que pagam impostos absurdos e assim sustentam o parasitismo das corporações monopolistas do que pagá-las do próprio bolso e ainda ficar com má fama? Nesse ponto, acho que os capitalistas têm razão... 

Feitas as observações, vos desejo uma boa leitura:

quarta-feira, 4 de junho de 2014

Um belo dia!

Quando chegar a hora em que tudo parecerá perdido, eles aparecerão!


Hoje foi um dia de trabalho árduo, mas compensou. Fui dormir às quatro e meia e tive de me levantar às sete para acabar trabalhos que costumo fazer em dois dias, de modo a poder passar a tarde com um amigo que finalmente conseguiu finalizar as exigências relativas a um pedido de equivalência do seu diploma. Tive ainda de passar horas com ele nas finanças para completar umas formalidades, mas o fiz com toda a satisfação pois esse amigo, num momento de dificuldade extrema, me deu a mão e disse que poderia contar com a sua ajuda para tudo. Agora, uma coisa interessante. Outras duas pessoas me estenderam a mão naquela época, e os dois possuem algo em comum com o amigo de hoje: são ex-legionários. É aqui que as coisas começam a ficar interessantes, afinal, não pude ir, por ter de auxiliar a família numa luta árdua de cariz político (mais politiquice de paspalhos que se acham invisíveis do que propriamente Política), para a Legião, o que considerava como uma espécie de rito necessário para ser um historiador a sério, mas a Legião veio até mim. 

Para além dos legionários, também travei uma bela amizade com um ex-spetsnaz que se apaixonou por Portugal. Ninguém imagina que o cavalheiro, cordial como poucos e com um sorriso invulgarmente simpático, tem um currículo extraordinário de acções em combate, especialmente porque chegou a trabalhar nas obras quando cá chegou. Agora, faz algo melhor e está ambientado, demonstrando bastante espírito. Fala muito bem, mas nunca deixou de falar como um russo. Por vezes, quando diz algo, preciso de um segundo para "pescar" o isco, e por vezes, confesso, preciso de mais tempo. E tem um lado russo que a gente não vê em muitos russos, do tipo que a gente olha e pensa: é esse o tipo que sobreviveria num gulag. Enfim, carrega o seu lado de tragédia, algo um bocado incomum para nós, acostumados a viver em tempos melhores, mas é um homem bom. Se as velhotas da aldeia soubessem do seu passado... Bom, sei que a maioria dos meus amigos não acredita em bruxas, mas eu acredito, e agora vem a parte esquisita da história. Tive um sonho, coisa que não acontecia há muito, bastante estranho. Estava só num buraco cheio de ossos e com um cheiro terrível atirando contra um monte de seres híbridos, os corpos eram humanos, mas as faces eram de cobras. Estava cheio de ódio e disparava com uma raiva invulgar, frustrado por não fazer mais estragos com a minha arma, que acabou por ficar sem munição. Fiquei com mais raiva e passei a jogar tudo o que tinha contra aquelas criaturas horríveis, que por alguma razão me queriam destruir. Lembro de chegar a atirar todos os ossos, cada vez mais raivoso pela frustração de nada conseguir fazer contra aquela legião, e de ficar sem pele nas mãos por arrancar todas as pedras do chão para arremessar. Comecei então a usar os punhos e até a cuspir, ainda mais frustrado por nada conseguir, até que lembrei que tinha uma granada no pescoço, presa pela cavilha num cordão que costumo carregar (sem a granada, logicamente;). 

Fiquei contente pois aí soube que o meu sacrifício seria compensado com a morte de toda aquela legião infernal, justo no momento em que ela se deliciava com a minha carne. Foi justamente aí que apareceu um guerreiro gigante, cuja beleza e imponência era simplesmente indescritível. No último momento, quando tudo parecia perdido e havia aceite o meu sacrifício, afinal, seria compensado, fui salvo por aquele guerreiro. Sei que muitos imaginam que exagero quando afirmo que estou convicto de que estamos à beira de uma guerra mundial, mas estes são cada vez menos pois as notícias não auguram nada de bom, porém, aceitar essa possibilidade não nos deve conduzir ao desespero. Muito pelo contrário!

Somos uma raça que só encontra ânimo na luta desigual, e não faltam pessoas com capacidade para lutar por aqui. Estou convicto de que, caso venha a bronca, o velho espírito que conduziu os nossos antepassados à victória contras as legiões invictas de Napoleão renascerá. Também os nossos antepassados se depararam com uma ameaça que parecia imparável. Lembrem que as legiões de Napoleão eram consideradas imbatíveis e tinham recentemente saído victoriosas de Jena, Austerlitz e Wagram. Em 1808, nos levantamos contra eles e demos uma surra no exército multinacional de Napoleão, só com a força moral do povo, e mostramos o que o espírito humano pode, bem antes do tirano ter metido os pés na Rússia (1812), que mais não fez do que replicar a estratégia que por cá adoptamos (a terra queimada e as linhas de Torres Vedras), mas com a vantagem do terreno e do inverno russo. Não precisamos da União Europeia e nem da Nato. Nada trazem a não ser a inimizade de potências poderosas, sem sequer oferecer segurança em troca da pilhagem. A Suíça deveria servir de exemplo, e se quisermos a paz, basta deixar bem claro que, se for preciso, estamos dispostos a nos explodir para levar connosco qualquer imbecil que se atreva a tomar o que os nossos antepassados nos legaram.

segunda-feira, 2 de junho de 2014

A propósito...

Tudo tão bonito. As avózinhas se encantam...


O formalismo ao qual fomos condicionados por séculos de burocratização funciona como um véu que nos impede de compreender o "enigma" do poder, apesar dos instintos contradizerem constantemente, quando somos confrontados com uma situação prática que nos afecta, o que aprendemos por repetição. Em teoria, os reis das monarquias liberais não têm nenhum poder, mas a verdade é que têm mais poder do que qualquer soberano em qualquer monarquia dicta absoluta. A diferença é que, ao contrário dos reis nas tais monarquias absolutas, onde os reis, em teoria, eram poderosos, mas na práctica eram limitados por inúmeros poderes que ninguém, ou nenhum grupo, poderia controlar, os reis das monarquias liberais, ao menos naquelas que "sobreviveram", ou seja, onde se associaram à oligarquia que as impôs a ferro e fogo com exércitos mercenários,  possuem muito pouco poder do ponto de vista formal, mas detém redes de influência e abundantes recursos que os permitem determinar subrepticiamente os rumos de um estado quase omnipresente, omnisapiente e omnipotente. Ainda assim, apesar dos poucos poderes formais, esses reis oligarcas (BP, Shell, Cintra Concessiones, Wallenberg,...) podem muito bem fazer a diferença em certos momentos, como poderia ter feito o "rei" dos belgas a propósito da aprovação da eutanásia para crianças, mas jamais o fazem. Cabe a nós especular e perguntar a razão disso. Se não o fazem por medo, então são covardes que por conveniência, ou seja, apenas para manter a coroa, assinam leis ilegítimas, ou melhor, criminosas, e se a razão não é o medo, então é porque estão de acordo.  As presenças dessas figuras nos conclaves da oligarquia transnacional, como o que recentemente aconteceu na Dinamarca e contou com o Sr. Balsemão Camarate, com o ministro Paulo Mandado e a irmã da atriz que apareceu num filme do Tarantino, não deixa dúvida a respeito do assunto.

Agora, passemos à abdicação do João Carlos de Espanha. Como sabemos, de austera a monarquia espanhola nada tem. Só quando fazemos comparações dos gastos oficiais com as mais descaradas repúblicas de ladrões é que ficamos com a impressão de que estamos diante de algo exemplar, o que nos dá um indício do avançado grau de decadência e ingenuidade do mundo ocidental. O comportamento do ocupante do trono espanhol, que há alguns meses, no meio de uma crise sem precendentes, resolveu fazer uma viagem secreta com uma amiguinha e dar uns tiros num elefante, feito ao alcance de qualquer ancião rico capaz de mover o indicador, ainda que para isso precise de um comprimido vasodilatador (já lá vão os tempos em que Assurbanipal caçava leões que aterrorizavam os súbditos a cavalo e de lança...), só veio expor o que todos, menos os leitores de Caras e Hola, sabem, e não é por acaso que cada vez mais há menos espanhóis que acreditam na actual monarquia. Diante de tal facto, nada como uma pequena operação de imagem inspirada no exemplo papal. Tudo vai continuar na mesma, mas o povo vai se distrair com as cerimónias oficiais e com conversinhas de chá e bolachinhas diet veiculadas pelos media. E assim se ganha tempo.

O mais importante, entretanto, é aumentar a intensidade das ameaças que rondam Espanha de modo a tornar o rei, na percepção popular, indispensável. Nada como um aumento da retórica anti-cristã e separatista, de preferência com umas igrejas queimadas, uns atentados do ETA (mas serviria a tal "alcaida") e ameaças de morte contra o novo rei - melhor ainda se houver um golpe de militares radicais, logicamente concebido para falhar - para fazê-lo sair de tudo isso como um herói. Daqui a algumas décadas, podem ter a certeza, dirão todos os jornalistas e palpiteiros que Felipe, num momento de extrema fragilidade do trono espanhol em que o próprio futuro da nação estava em causa, provou pela sua acção que é um grande estadista. Agora deixo cá duas recomendações de leitura a propósito do tema: